Agora todo mundo acha que é intolerante à lactose, acredita?

Hoje é muito comum as pessoas saírem divulgando por aí em alto e bom som que são intolerantes à lactose, sem passar por exames médicos específicos. Tudo esse alvoroço porque tomaram uma dose extra de leite em algum momento da vida e correram para o banheiro pouco tempo depois por conta de uma mini diarréia. O que muitas dessas pessoas não sabem é que elas podem NÃO SER intolerantes à lactose como elas pensam.

leite 2

Pra explicar melhor, deixa eu definir em linhas gerais o que é lactose. Lactose é um carboidrato, também conhecido como açúcar, formado pela junção de duas outras unidades menores, a glicose e a galactose. A lactose é muito encontrada no leite e em seus derivados, como iogurtes e queijos. Também está muito presente nas glândulas mamárias de todos os mamíferos lactantes, assim como nas mamas de nossas mamas, oops, de nossas mães.

A intolerância a esse carboidrato acontece quando o nosso corpo tem deficiência da enzima lactase, responsável por digerir a lactose e reduzí-la a glicose e galactose. Quando os mamíferos desmamam (incluindo aqui os humanos), o trato gastrointestinal dos mamíferos adultos reduz substancialmente a produção da enzima lactase, fazendo com que sua atividade se limite a 10% do valor inicial, quando ainda éramos bebês.

Isso porque bebês se alimentam unicamente de leite nos primórdios da vida e obviamente precisam dessa enzima em grandes proporções. Ao decorrer da vida, como “desmamamos”, a grande quantidade da enzima torna-se inútil para o corpo e ela é reduzida.

Acontece que essa redução varia bastante de indivíduo para indivíduo. Existem indivíduos que realmente desenvolvem uma deficiência grande da lactase e outros que apenas a reduzem ao padrão normal. Nada mais natural que essa segunda opção.

Mas muitos hipocondríacos e esse pessoal mais “confuso” com a enxurrada de informações disponibilizadas com o avanço da tecnologia acham que são intolerantes só porque tomaram leite em excesso uma vez na vida e correram para o banheiro com uma diarréia.

Calma, gente! Cada metabolismo tolera sua respectiva porção de lactose, uns mais e outros menos. Portanto, antes de sair por aí falando que tem intolerância à lactose porque comeu uma pizza de muçarela com bordas de catupiry e nunca mais saiu da privada, confirme o seu estado de saúde.

A redução da ação da enzima lactase não deve ser confundida com estado patológico. Essa redução, como disse, é muito prevalente na população adulta mundial, principalmente entre negros, asiáticos e sul-americanos.

Pequenas quantidades de lactose do leite podem ser muito toleradas pela maioria dos adultos (cerca de 12 g em 250 mL de leite).

O consumo de leite em quantidades moderadas ao longo do dia é importante, uma vez que o leite é fonte de proteína, cálcio e riboflavina, também conhecida como vitamina B2, importante para a saúde dos olhos, pele, boca e cabelos.

Em crianças, é muito mais preocupante, por exemplo, uma infecção do intestino, que pode destruir células da parede intestinal. Como a enzima lactase é produzida nas microvilosidades da parede do intestino delgado, a infecção pode debilitar a criança na produção da enzima, aí sim fazendo com que o leite não seja digerido adequadamente.

A melhor saída é procurar um médico e se certificar se você tem realmente intolerância à lactose ou apenas abusou daquele iogurte que tanto ama. #semterrorismo

Fonte: Pirâmide dos Alimentos: Fundamentos básicos da nutrição, de Sonia Tucunduva Philippi

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s