Pra que insistir no miojo?

Ele quebra muitos galhos por aí e é consumido por muitas pessoas que buscam uma refeição rápida, prática e barata em meio à correria do cotidiano. Apesar de todas essas “facilidades”, o miojo não deveria constar no cardápio da população de nenhum lugar do mundo.

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), a ingestão máxima de sal diária permitida por pessoa é de 4 gramas e o de sódio, 2 gramas, equivalente a uma colher rasa de café. O problema é que cada embalagem de macarrão instantâneo traz pelo menos o dobro deste valor no pacotinho que dá sabor ao alimento. Se é que a gente pode o chamar de alimento!

Não só o miojo, mas qualquer tipo de macarrão instantâneo faz mal à saúde por conta do elevado teor de sódio e de gordura na composição. Essas substâncias fornecem um grande risco para doenças cardíacas e aumento da pressão arterial.

Não lembro mais qual foi a última vez que comi miojo, mas aconteceram algumas vezes na minha infância. E foi por pedido exclusivamente meu, e não de alguém da minha família cozinhando miojo por preguiça ou praticidade. Muito pelo contrário, lembro até hoje meu pai e minha mãe, quando me viam comendo miojo, me condenando e dizendo que aquilo não prestava para nada. E eles têm toda a razão.

Além da hipertensão e doenças cardíacas com o consumo do macarrão instantâneo em excesso, este produto pode desencadear a síndrome metabólica, capaz de viciar o seu corpo em “porcarias” e desregular o funcionamento do seu metabolismo.

Produtos como o miojo e o Cup Noodles, por exemplo, abusam do glutamato monossódico, utilizado para realçar o sabor. Esta é conhecida por ser uma substância viciante que causa reações adversas no organismo, apesar de ter o uso liberado pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa). Entre essas reações, estariam dor de cabeça, enxaquecas, náuseas, sudorese e prejuízo para o trato gástrico.

A quantidade de aditivos químicos na composição do macarrão instantâneo é imensa: corantes, conservantes, acidulantes, estabilizantes e muito, mas muito sódio. Aí eu me pergunto qual o motivo que leva os fãs do miojo a ingerirem algo que vai se digerir em puro sódio, gordura do mal e aditivos químicos que trazem reações adversas à saúde? Existem muitos fatores socioeconômicos ou falta de informação envolvidos, mas para os antenados de plantão é burrice persistir, ainda mais que é uma alimento que não traz sensação de saciedade e faz você querer comer mais.

Não é tão difícil assim aprender a cozinhar e montar uma marmita prática para o cotidiano. O segredo é que as pessoas pensam que cozinhar é ter que fazer um monte de pratos, como a ostentação dos buffets. Não é nada disso! É possível ser feliz e saudável com até dois tipos de alimentos nas principais refeições, uma proteína e um carboidrato de preferência. No próximo post, eu vou me basear na alimentação de alguns nutricionistas e trazer dicas e imagens de combinações simples para compor a dieta do dia.

Anúncios

Um comentário sobre “Pra que insistir no miojo?

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s