Ame alguém assim como o arroz ama o feijão (e vice-versa)

Não existe amor maior no mundo do que o do arroz e do feijão. Eles são o casal perfeito, melhor que Romeu e Julieta (a combinação queijo e goiabada – e por que não o casal fictício?). Se todos tivessem um amor igual este, o mundo seria um lugar sem guerra.

Nutricionalmente falando, é raro encontrar um caso em que dois alimentos se complementem de forma tão eficaz. Além de fornecerem diversos nutrientes, os aminoácidos que faltam em um alimento, você encontra em outro. Os aminoácidos são as estruturas básicas que formam as proteínas.

Por exemplo: existe um aminoácido chamado metionina que é muito encontrado no arroz mas possui poucas quantidades no feijão; existe outro chamado lisina, mas esse é muito encontrado no feijão e pouco encontrado no arroz. O que um não tem, o outro complementa.

O nosso corpo precisa dessas combinações de aminoácidos para a formação de células, de músculos, de órgãos e para manter quase todas as funções vitais que se conhece. Aquela história de que comer arroz e feijão engorda é mentira. Você só engorda quando ingere um alimento em excesso.

Aaahhh, se Shakespeare soubesse disso!…

Anúncios

Você sabia que existe uma truta salmonada? E que ela é vendida como salmão?

Semelhanças entre salmão e truta salmonada

Recentemente descobri a truta salmonada. Eis que estava em um restaurante e pedi se tinha salmão para grelhar. E a resposta foi: “não temos salmão, mas temos truta salmonada”.  Depois dessa resposta estranha para meu mundinho, fui pesquisar e apurar o que era essa tal de truta salmonada. Ah, naquele momento no restaurante, eu optei por experimentar o peixe. E o sabor era muito bom, tão bom que é parecido ao do salmão. E é aí que mora o perigo! Restaurantes estão comercializando a truta salmonada como se fosse salmão, sendo que eles se diferenciam na qualidade nutricional e no preço.

Outros fatores que alimentam essa confusão é a cor dos dois peixes. Ambos têm aquela coloração rosado-alaranjada/avermelhada. E é aí que mora outro perigo! A truta não nasce salmonada, ela “se torna” salmonada depois de ser tratada de uma forma específica em cativeiro. Fica a pergunta: como diferenciar dois peixes semelhantes com a mesma coloração e o mesmo sabor? A resposta não é das melhores. A não ser pela análise laboratorial de sua composição, fica muito difícil diferenciá-los a olho nu.

Os estabelecimentos se aproveitam

É claro que não existe problema algum em vender e consumir truta salmonada desde que você saiba que está consumindo truta salmonada. O crime acontece quando um estabelecimento comercializa truta salmonada como se fosse salmão. Como eu disse antes, a classificação nutricional e o preço dos dois são diferentes, principalmente o preço.

A truta salmonada adquire a coloração do salmão em cativeiro. Ela é originalmente esbranquiçada, mas recebe uma alimentação à base de uma proteína de soja que faz a coloração de suas escamas ficar com o mesmo tom que a do salmão. Já o salmão fica rosadinho naturalmente devido à dieta à base de frutos do mar.

Diferenças entre salmão e truta salmonada

A seguir, listo algumas diferenças nutricionais entre as duas espécies. Quanto ao preço, o quilo de um bom salmão não custa menos que R$ 40 e ele vem com a certificação de origem. Mas e se mercados e empresas se aderem ao comércio irregular e trocam o salmão por trutas em suas embalagens? Ou se os restaurantes vendem a truta como salmão e cobram o preço alto do salmão? Muitas perguntas, poucas respostas. Minha sorte foi que AQUELE dia o moço do restaurante me informou corretamente o peixe do cardápio, mas quantas vezes será que comi truta salmonada por aí achando que era salmão?

Abaixo, cito um trecho do site Minha Vida sobre as diferenças nutricionais do salmão e da truta salmonada, que vocês podem conferir também no link abaixo.

http://www.minhavida.com.br/alimentacao/materias/12301-compare-o-salmao-com-a-truta-salmao

Ômega 3

O salmão e a truta salmão são ricos nesta gordura poli-insaturada, porém o salmão apresenta uma quantidade um pouco maior de ômega 3 “Quem consome este ácido graxo protege o coração de doenças cardiovasculares, pois essa gordura do bem reduz as taxas de colesterol ruim (LDL) e eleva o colesterol bom (HDL) do sangue, além de dissolver as placas de gordura que obstruem as artérias”, explica a nutricionista do Dieta e Saúde, Roberta Stella. Também tem ação anti-inflamatória, fortalece o sistema imunológico e protege o cérebro contra doenças degenerativas, como o Mal de Alzheimer.

Vitamina A

A truta salmonada oferece mais deste nutriente – são 57 UI, enquanto o salmão tem 40 UI. Entre as principais funções desta vitamina no organismo, estão a ação protetora dos olhos, da pele, mucosas e da capacidade funcional dos órgãos de reprodução. O nutriente também tem papel de defesa contra as infecções.

Além disso, estudos recentes realizados pela Universidade Federal do Rio de Janeiro apontam a relação da vitamina A com a leptina, o chamado hormônio da saciedade. Segundo as pesquisas, a falta da vitamina A diminui a produção de leptina, causando os perigosos ataques de gula. E tem mais. Quando os níveis de vitamina A estão abaixo da necessidade do organismo, as células de gordura (adipócitos) se multiplicam com maior facilidade, e pior, também aumentam de tamanho, provocando aumento de gordura localizada no corpo.

Selênio

O salmão contém 36,5 mcg de selênio, um antioxidante que previne o envelhecimento celular, afastando os risco de tumores. A truta salmão, por sua vez, fornece 12,6 mcg. Esta substância também ajuda a manter a elasticidade dos tecidos do organismo. A pele e os cabelos ficam renovados.

Cálcio

A truta salmão oferece boa quantidade de cálcio. São 43 miligramas contra 12 miligramas de salmão. O mineral mantém dentes e ossos fortes, combatendo o raquitismo e a osteoporose. Além disso, o nutriente mantém os batimentos do coração regulares e ajuda o sistema nervoso a trabalhar melhor.